ORIGEM

MOSCATEL DE SETÚBAL

  • José Maria da Fonseca

    Fundada em 1934, é a mais antiga empresa portuguesa de vinhos de mesa e Moscatel de Setúbal. Tem como foco tradição unida à inovação e até hoje é administrada pela mesma família.

    Saber mais

  • Xavier Santana

    Criada em 1926, por Xavier Santana, a empresa hoje é administrada pelos seus sucessores, produzindo de vinhos de referência nacional e internacional.

    Saber mais

  • Casa Ermelinda Freitas

    Empresa familiar, a Casa Ermelinda Freitas aposta na qualidade das vinhas e dos vinhos desde a primeira geração.

    Saber mais

  • Adega de Pegões

    A Adega de Pegões é hoje uma adega moderna e competitiva, reconhecida a nível nacional e internacional, tendo sido distinguida em 2014 como a 4ª melhor empresa de vinhos em Portugal e a 37ª no mundo pela “associação mundial de jornalistas e escritores de vinho e licores”.

    Saber mais

  • SIVIPA

    Criada em 1964, tornou uma sociedade com grande reputação na produção de vinhos e moscatéis, tendo obtido inúmeros prémios nacionais e internacionais.

    Saber mais

  • SIVIPA

    Criada em 1964, tornou uma sociedade com grande reputação na produção de vinhos e moscatéis, tendo obtido inúmeros prémios nacionais e internacionais.

    Saber mais

  • Bacalhôa

    A Bacalhôa Vinhos de Portugal, S.A., uma das maiores empresas vinícolas em Portugal, desenvolveu ao longo dos anos uma vasta gama de vinhos que lhe granjeou uma sólida reputação e a preferência de consumidores nacionais e internacionais.

    Saber mais

  • Venâncio Costa Lima

    A Venâncio da Costa Lima é uma das adegas mais antigas da região de Palmela, com início de actividade em 1914. Um negócio familiar que já vai na quarta geração.

    Saber mais

  • Venâncio Costa Lima

    A Venâncio da Costa Lima é uma das adegas mais antigas da região de Palmela, com início de actividade em 1914. Um negócio familiar que já vai na quarta geração.

    Saber mais

  • Adega de Palmela

    Cooperativa da Região de Palmela, reúne actualmente a produção de 300 associados. É responsável vinificar as uvas de seus cooperadores, assim como pela comercialização das suas marcas.

    Saber mais

  • Adega Camolas

    A Adega Camolas é uma empresa familiar, junto ao Parque Natural da Arrábida, com ligações profundas à vinha e ao vinho desde a década de 70. A produção dos vinhos resulta da colheita de uvas de várias parcelas de vinhas próprias espalhadas pelas zonas nobres dos vinhedos do concelho de Palmela, bem como da compra de uvas a pequenos viticultores da região.

    Saber mais

  • Malo Wines

    A Malo Tojo dispõe de 100ha de vinha, distribuídos por duas propriedades localizadas na Península de Setúbal - Quinta de Catralvos, em Azeitão e Monte da Charca, em Pegões.

    Saber mais

  • Damasceno

    Os primeiros vinhos Damasceno nasceram em 2003, ano da primeira colheita. Desde lá a empresa tem investido em qualidade, conquistando prémios em nível nacional e internacional.

    Saber mais

  • Brejinho da Costa

    Produzidos por uma empresa familiar, os vinhos Brejinho da Costa são fruto do grande cuidado colocado numa actividade onde todos os detalhes são importantes. Para além da produção de vinhos, a protecção da paisagem e o respeito pelo ambiente, são a chave de uma viticultura que é, cada vez mais, um factor de atracção turística e uma prática cultural.

    Saber mais

  • Filipe Palhoça Vinhos

    A Filipe Palhoça Vinhos é uma empresa familiar dedicada há mais de 50 anos à viticultura e produção de vinhos na Península de Setúbal. Fundada em 1950 por Filipe Jorge Palhoça, as suas raízes remontam a uma pequena adega pertencente a seu pai, João Loureiro Palhoça.

    Saber mais

  • Quinta do Piloto

    Herdeira da tradição vinícola de quatro gerações da família Cardoso, em Palmela, a Quinta do Piloto produz vinhos reconhecidamente elegantes, com castas escolhidas pela excelência.

    Saber mais

TÃO BOM QUE É CONHECIDO COMO VINHO GENEROSO.

Descubra tudo sobre o vinho que é a cara mais conhecida desta região; um vinho único no mundo: o Moscatel de Setúbal.

UM POUCO DE HISTÓRIA

Desconhece-se o momento preciso em que terá começado o cultivo da casta Moscatel de Setúbal na Península de Setúbal, mas estima-se que os Fenícios e os Gregos tenham dado um forte impulso na divulgação do vinho, incentivando as trocas comerciais com outros povos através do estuário do Sado.

A fama do Moscatel de Setúbal, além-fronteiras, terá começado na segunda metade do século XIV, quando Ricardo II de Inglaterra se torna um importador assíduo de Moscatel de Setúbal. Durante o reinado de Luís XIV, o prestígio só aumentou. O “Rei Sol” não dispensava o vinho generoso nas suas festas em Versalhes. Nos séculos XV e XVI, durante a expansão portuguesa, o Moscatel de Setúbal viajava nas naus e galeões em direção à Índia. Após os Descobrimentos, os vinhos eram transportados nas longas viagens às colónias e, muitas vezes, faziam a viagem de ida e volta em barricas expostas ao sol ou submersas na água no fundo dos navios, o que acabou por melhorar a sua já admirada qualidade, originando os chamados vinhos de “Roda” ou “Torna Viagem”, muito valorizados em leilões e dos quais o Moscatel de Setúbal é considerado o embaixador mundial.

O francês Léon Douarche referiu-se ao Moscatel de Setúbal dizendo: “ É o Sol em garrafa”.

CARACTERÍSTICAS

O SOL EM GARRAFA.

De eterna volúpia, enorme sensibilidade e prazer, os Moscatéis de Setúbal são maravilhosos na harmonia sempre difícil entre açúcar, álcool e frescura. Feitos a partir das castas Moscatel de Setúbal ou Moscatel Roxo, têm a cor dourada, com forte carácter citrino, doce e compotado. São considerados “o património nacional português que se bebe”, sendo apreciado por reis e pelo povo desde tempos imemoriais.

Os Moscatéis de Setúbal diferenciam-se de outros Moscateis económicos não só pela origem e qualidade das vinhas, garantida pela designação D.O. Setúbal, mas pelo seu tempo de estágio. Um vinho Moscatel de Setúbal é colocado no mercado a partir de 1,5 anos de idade, podendo ostentar na rotulagem o ano de colheita ou as indicações, desde que o vinho em causa, ou cada uma das parcelas do lote que o originou, tenha no mínimo a idade indicada:

Idades Moscatel de setubal

Há ainda as seguintes classificações:

Superior: vinhos com um mínimo de cinco anos de idade e que tenham obtido na câmara de provadores a classificação de qualidade destacada.

Reserva: prevê apenas prova em Câmara de provadores com classificação de qualidade destacada.

Moscatel de Setúbal Datado: ano da colheita. Significa que este Moscatel de Setúbal não é blend ou mistura de lotes de diferentes uvas. É somente Moscatel de Setúbal, daquele ano de colheita

Moscatel de Setúbal Não Datado: significa que este Moscatel de Setúbal é blend ou mistura de lotes de diferentes uvas. No seu lote coexistem Moscatéis de Setúbal de diferentes anos de colheita.

Saiba mais sobre o Moscatel de Setúbal